PUBLICIDADE

X

ARTIGOS

Sexta-feira, 11 de Setembro de 2020, 09h:29

Olho 5311 acessos A | A

CARLOS EDUARDO

Da qualificação técnica dos Agentes Comunitários de Saúde e dos Agentes de Combate a Endemias

Por: Carlos Eduardo

Reprodução

Clique para ampliar

Carlos Eduardo - Relator da Câmara Setorial Temática que debate a qualificação técnica e estudo da legislação dos Acs e Ace de Mato Grosso

A necessidade de qualificação para que tenhamos uma melhoria nos rendimentos laborais é visivelmente notada há anos, inclusive em países que conseguiram dar um salto na economia, conseguindo índices altos de desenvolvimentos, chegaram à este patamar, por intermédio do investimento em educação e qualificação de sua população.

Portanto, indo nesta mesma linhagem, estamos diante de um desafio que é a qualificação de um setor extremamente importante de nossa chamada Atenção Básica, a qual inclusive ficou mais notória, nesta crise da saúde que nos assola desde o inicio de 2020.

Investimentos não se fazem somente em pagamento de melhores salários, mas também dando a oportunidade de forma gratuita e de qualidade a formas de se capacitar e se qualificar.

E neste quesito, a Assembléia Legislativa do Estado de Mato Grosso, com a criação em 2019 da Câmara Setorial Temática que debate a qualificação técnica dos Agentes Comunitários de Saúde e dos Agentes de Combate a Endemias do Estado (CST⁄MT), presidida pelo Deputado Estadual Max Russi, tem buscado fazer um levantamento junto a estes profissionais para ter um panorama de qual seria a forma mais adequada de se investir neste setor da prevenção e promoção de saúde, onde o retorno seria para a própria saúde.

Diante de levantamentos preliminares, esta CST da ALMT, vislumbrou a necessidade e possibilidade de que o mais necessário para estes profissionais, seria a Capacitação e Qualificação dos mesmos, por intermédio de cursos ofertados de forma gratuita, de qualidade, acessível e de forma continua, fornecidos pelo Poder Público, visando dar a estes mais de oito mil servidores vinculados a seus municípios, melhorando visivelmente a qualidade dos serviços prestados a comunidade, com os Agentes altamente capacitados para demandas como esta que infelizmente tivemos este ano que foi o enfretamento a Covid 19.

Ganha com isso os profissionais, a sociedade e o sistema único de saúde, consequentemente, o Estado de uma forma geral, considerando ainda um investimento de baixo custo, visto que o Estado possui estrutura para este ousado plano, tendo como retorno, a baixa em gastos com internações e medicamentos, visto o exemplo que tivemos este ano em Cuiabá quando o Governo optou pela prevenção ao criar o Centro de Triagem da Covid 19, achatando assim o número de contaminações, quando precocemente testa em massa a população.

Esta qualificação gratuita, continua e de qualidade, além de melhorar este setor da Atenção Básica, refletirá e impactará, na vida funcional daqueles que em seus municípios possuem Plano de Cargos e Carreiras, pois poderá pleitear uma possível elevação de nível pela graduação adquirida.

Ao ofertarmos esta qualificação a estes profissionais, estaremos sendo pioneiros em nosso país, em investimento na saúde de uma forma que contraria a forma tradicional de “construção de prédios” para a saúde, mas sim pensando no lado humano de melhorarmos a condição de vida daqueles que assistem e dos que são assistidos.

A CST da ALMT, espera estar com este levantamento feito entre os profissionais do Estado, estar colaborando para a melhoria de nossa saúde em um todo.

 

Carlos Eduardo - Relator da Câmara Setorial Temática que debate a qualificação técnica e estudo da legislação dos Acs e Ace de Mato Grosso