ARTIGOS

Quinta-feira, 05 de Outubro de 2017, 08h:53

Olho 4207 acessos A | A

Benedito Figueiredo

O barato pode custar a sua vida

Por: Benedito Figueiredo

Benedito Figueiredo

Clique para ampliar

Muitas mulheres em busca do corpo perfeito acabam sendo iludidas pelos descontos de até 90% oferecidos pela internet ou por agenciadoras para a realização de procedimentos cirúrgicos de estética em países como Bolívia, Venezuela e Paraguai. 

Com isso, arriscam sua segurança e sua vida por se submeter a uma cirurgia com um profissional não credenciado com especialidade médica em cirurgia plástica que pode comprometer o resultado da mesma e ainda pela realização em clínicas e salas que não têm estrutura médico-hospitalar para que o socorro em caso de uma complicação tenha o suporte que garanta a vida dessa paciente.

Outro ponto é a questão do acompanhamento do pós-operatório e a medicação preventiva que a paciente deve tomar para evitar complicações e garantir o sucesso da cirurgia e ainda eliminar os riscos de infecção ou deslocamento da prótese em caso de aumento de mama.

Se ocorrer uma complicação o risco é todo da paciente, que, por sinal, não tem direito algum naquele país, pois é estrangeira. 

Além desses riscos já descritos, o chamado bonde da beleza realizado na Bolívia, na Venezuela e no Paraguai oferece um pacote conhecido como X Tudo que inclui abdomeplastia, colocação de prótese de silicone e lipoaspiração, tudo numa só cirurgia que pode durar até 10 horas.

Procedimentos que no Brasil, pelo enorme risco de vida para a paciente, não mais se recomenda fazer ao mesmo tempo. 

Se ocorrer uma complicação o risco é todo da paciente

Aqui no Brasil, uma cirurgia plástica não ocorre sem que o cirurgião plástico peça diversos exames, como de sangue, eletrocardiograma e entre outros pré-operatórios para ver o risco cirúrgico, além de passar por um anestesista.

Temos todos os cuidados para que imprevistos não ocorram e o procedimento aconteça com toda a segurança possível e aparato médico-hospitalar para enfrenta-los. 

Já na Bolívia, na Venezuela e no Paraguai, o nível de falta de compromisso com o paciente é tamanho, que as cirurgias acontecem no mesmo dia que a pessoa chega ao país, sem exames ou mesmo uma consulta com o profissional que irá realizar a cirurgia plástica, ou seja, o médico em questão não sabe nada das condições da paciente que vai operar. A pergunta é vale a pena se submeter a esse risco de vida pela beleza? 

Contudo, se esse é o seu sonho, vale a pena lembrar que no Brasil há várias linhas de financiamento, parcelamento e até consórcios para a realização de cirurgias em todas as áreas. 

Mais que ter um corpo perfeito, o importante é estar viva para curtir o que a vida oferece. Não acha? 

Benedito Figueiredo Junior é cirurgião plástico na Angiodermoplastic. E-mail: drbeneplastica@gmail.com