PUBLICIDADE

X

CIDADE

Quarta-feira, 13 de Novembro de 2019, 15h:40

Olho 929 acessos A | A

A PARTIR DE QUINTA-FEIRA

Cáceres tem Semana da Consciência Negra

A programação tem duração de seis dias e é aberta à toda a população. Evento está em sua 7ª edição.

Por: Joner Campos I Cáceres Notícias

Reprodução

Clique para ampliar

O evento é realizado por vários movimentos sociais e encabeçado pelo Coletivo de Mulheres Negras e pelo Grupo de Estudos Para a Educação das Relações Étnico Raciais (GEPRER).

Começa nesta quinta-feira (14) a 7ª Semana da Consciência Negra e 1º Novembro Negro das Mulheres em Cáceres. A programação se estende até o dia 20 com palestras, mesas redondas, exposição, entre outros.

O evento é realizado por vários movimentos sociais e encabeçado pelo Coletivo de Mulheres Negras e pelo Grupo de Estudos Para a Educação das Relações Étnico Raciais (GEPRER). As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo site da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) ou pessoalmente na entrada do evento.

Nesta quinta-feira a programação começa com um debate sobre "A População Negra nos Espaços de Poder", às 18h na Plenária do Fórum da Comarca de Cáceres. "Queremos propor a reflexão sobre a condição da população negra, especialmente no municipio. A gente sabe que no brasil existe o racismo estrutural que impede ou dificulta a ascensão do povo negro. Discutir esse tema é uma forma de quebrarmos o ciclo do racismo, trazendo luz a problemática e lutar por melhores condições de vida" diz Sara Cristina, coordenadora do evento.

Na segunda-feira (18) uma audiência da sequência à programação da semana, com o tema "O município no combate ao racismo: demandas e ações", que será realizada à partir das 19h no Centro Cultural de Cáceres. A coordenadora do evento faz questão de chamar atenção sobre a importância do assunto na cidade. "Quando falamos da população negra não estamos nos referindo apenas aqueles com a pele escura, ainda mais num município como Cáceres, com grande presença de indígenas. Quando falamos de combate ao racismo nos referimos a pretos, pardos e indígenas que sofrem com a discriminação", completa Sara Cristina.

A exposição de fotografias do Acervo Quilombola do Museu e do Centro de Pesquisa da UNEMAT acontece durante quatro dias do evento, de 18 a 21 de Novembro. A programação ainda inclui um cine-debate e mesas redondas e palestras em escolas do município.

9c9e13b2-4d71-4fed-b9cb-3d8b59cff8b8.jpg