PUBLICIDADE

X

CIDADE

Domingo, 27 de Setembro de 2020, 12h:48

Olho 3836 acessos A | A

CRISE NO PANTANAL

Seca encalha chalana com 4 toneladas de alimentos; barcos menores fazem doações

A expedição estava marcada para se iniciar em 18/09. Devido ao encalhamento, alimentos estão sendo transportados em barcos menores, para as comunidades em pior estado.

Por: Joner Campos I Cáceres Notícias

Rodrigo Martinelli

Clique para ampliar

Baia Guaíva - local onde a chalana está encalhada com 4 toneladas de alimentos e produtos de higiene para as comunidades

A crise gerada no Pantanal Mato-Grossense por conta das queimadas e do longo período de seca atrapalhou até o envio de ajuda às comunidades tradicionais. Uma balsa, com 4 toneladas de alimentos e produtos de higiene está encalhada há mais de uma semana no lago Gaíva, Rio Paraguaí.

Denominada “No Pantanal Tem Comunidades Tradicionais”, a expedição teria início dia 18/09, mas os problemas com a embarcação atrasaram os trabalhos, que foram retomados neste domingo (27) de forma emergencial.

Em comunicado, os organizadores da Expedição disseram que a decisão de enviar as doações, mesmo que em pequenas quantidades, ocorre devido a piora da situação em algumas comunidades pantaneiras, causada por recentes incêndios.

Uma das principais regiões atingidas é a da comunidade Barra de São Lourenço.

“Lá foi atingido pelo fogo e a comunidade está em situação de emergência. A expedição já estava programada para levar produtos básicos de prevenção da Covid-19, agora surgiram os incêndios”, conta Claudia Sala de Pinho, que é coordenadora da Rede de Comunidades Tradicionais Pantaneira.

7c4698fe-6fae-4dfb-9756-f7ff50849533.jpg

Em comunicado, foi informado que barcos menores estão fazendo o serviço de entrega das doações. “Barcos menores vão levar parte dos alimentos e soro às comunidades que estão precisando mais urgentemente. A nova data para a expedição continuar sua missão está prevista para 05/10/2020”, afirmaram os organizadores em comunicado.

A professora Solange Ikeda, da Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), é uma das pessoas envolvidas na expedição. Ela conta que centenas de pessoas esperama ajuda da expedição e que a retomada emergencial é de muita importância.

“Além dos alimentos, também estamos levando álcool em gel. Cerca de 150 famílias serão atendidas pela expedição, somando aproximadamente 600 pessoas”, afirma Solange.

A Expedição “No Pantanal Tem Comunidades Tradicionais” é organizada pela Rede de Comunidades Tradicionais Pantaneira e Instituto Gaia, ambos do Programa Humedales Sin Fronteras.

“torcemos para que tudo dê certo, mas oramos principalmente por chuva, para que o nível da água possa subir e a chalada navegar com os alimentos”, finaliza Claudia de Pinho.

A Rede de Comunidades Tradicionais Pantaneira e Instituto Gaia do Programa Humedales Sin Fronteiras, agradecem à todos os doadores e apoiadores da Expedição: Instituto Federal de Cáceres – Projeto álcool em gel, Laboratório de Educação, Restauração e Agroecologia da UNEMAT, ADUNEMAT, COOPER SOL, SINASEFE, Sociedade Fé e Vida, REESOL BIO, FONASC, STTR e FASE.

GALERIA DE FOTOS