PUBLICIDADE

X

CIDADE

Sábado, 18 de Maio de 2019, 15h:02

Olho 171 acessos A | A

MOBILIZAÇÃO

Secretaria de Assistência Social realiza ações de mobilização e informação no mês de Enfrentamento a Violência Sexual contra Crianças e Adolescente

Por: Assessoria

A Campanha Faça Bonito acontece anualmente no mês de maio já há 19 anos. O Maio Laranja foi instituído como mês de mobilização e da luta em defesa dos direitos sexuais de crianças e adolescentes, para que estejam livres do abuso e da exploração sexual.

A violência sexual é uma violação dos direitos sexuais, pois abusa e/ou explora do corpo e da sexualidade, seja pela força ou outra forma de coerção, ao envolver crianças e adolescentes em atividades sexuais impróprias à sua idade cronológica, ou ao seu desenvolvimento físico, psicológico e social.

A Lei 9.970/2000 instituiu o dia 18 de Maio como o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Esse dia foi escolhido porque em 18 de maio de 1.973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o Caso Aracelli. Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados, foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade.

O crime, apensar de sua natureza hedionda, até hoje está impune.
Desde então, a sociedade civil em Defesa dos Direitos das Crianças e Adolescentes promovem atividades em todo o país para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar a sociedade e autoridades locais sobre a gravidade da violência sexual.

Cáceres tem reforçado seu trabalho de prevenção e mobilização social para dar publicidade aos nossos serviços no contexto da Assistência Social e também os canais de denúncia e proteção das vítimas, destaca Eliane Batista, Secretária de Assistência Social.

As ações de mobilização e informação acontecerão por intermédio do Centro de Referência Especializado de Assistência Social- CREAS, Unidade da SMAS, e terá dois formatos neste ano, uma deles através de ações educativas para sensibilização e informações no âmbito da comunidade , através de Blitz Educativas, nos locais públicos como praças, sala de espera em alguns serviços públicos e na universidade.

E o outro momento será de visitas institucionais na Rede Escolar, nas quais a equipe fará orientações do serviço, conceitos e dinâmica dos fluxos de atendimento e importância da notificação dos casos suspeitos e/ou confirmados, e ainda, na oportunidade reforçaremos a necessidade da rede estar interligada e caminhar para o mesmo objetivo.

A Gerente do CREAS, Denise Carvalho, que esta à frente da unidade de referência para acolhimento e atendimento dessas crianças e adolescentes, nos informa que a violência pode acontecer no ambiente intrafamiliar, quando há relação de parentesco entre a vítima e o agressor, e extrafamiliar, quando não há uma relação de convivência familiar entre o agressor e a vítima. E ainda, enfatiza que o CREAS conta com uma equipe multiprofissional e trabalha na perspectiva da proteçã social e garantia do acesso às políticas públicas.

No Estado de Mato Grosso, conforme Registro Mensal de Atendimentos (RMA) dos Centros de Referência Especializado da Assistência Social-CREAS, do ano de 2017, 969 vítimas de violência sexual foram atendidas no Serviço Proteção e Atendimento Especializado a Famílias e Indivíduos - PAEFI.

Já em Cáceres, entre os anos de 2007 a 2018 a Secretaria Municipal de Assistência Social através do CREAS, tem registrado 462 casos de violência sexual contra crianças e adolescentes, na faixa etária de 0 a 17 anos. No ano de 2017 foram 25 casos, em 2018 foram 62 casos, e em 2019, até o mês de abril de 2019 já deram entrada na unidade 28 vítimas (crianças e adolescentes) para iniciar o acompanhamento psicossocial.

Esse cenário reafirma a importância dos serviços da rede municipal atuar mais na prevenção de situações de violência sexual e na garantia de proteção às crianças e adolescentes vítimas de violência sexual, reforça Eliane Batista.

Cada política pública/instituição deve cumprir seu papel no processo de prevenção, proteção, cuidado e responsabilização em torno das situações de violência sexual envolvendo crianças e adolescentes. Se você tiver suspeita ou conhecimento de alguma criança ou adolescente que esteja sofrendo violência, denuncie!

- Conselho Tutelar: 3223-1072/99959-8097/98426-0794
- DISQUE 100
- Ministério Público: 3222-1593/3559
- Polícia Militar: 190
- Delegacia Especializada (DEDM): 3223-5257/3224-1160
- CISC: 3903-1210/1228/1230
Você pode agir. Faça bonito: proteja nossas crianças e adolescentes!