PUBLICIDADE

X

EDUCAÇÃO

Sexta-feira, 23 de Agosto de 2019, 18h:07

Olho 1181 acessos A | A

EDUCAÇÃO

Alunos do Núcleo Clarinópolis fazem aula de campo na Fazenda Jacobina

Por: Esdras Crepaldi I SME

redacao@caceresnoticias.com.br

Reprodução

Clique para ampliar

A ação pedagógica culmina com o encerramento do projeto de História, “Viagem no Tempo”, desenvolvido nas unidades escolares.

Na última quinta-feira (22), alunos das escolas municipais Clarinópolis e Soteco, que integram o Núcleo de Clarinópolis, participaram de uma aula campo na Fazenda Jacobina, um dos maiores atrativos culturais, históricos e turísticos de Cáceres e um dos símbolos do Brasil colonial.

A ação pedagógica culmina com o encerramento do projeto de História, “Viagem no Tempo”, desenvolvido nas unidades escolares.

Conforme pesquisa realizada pelas escolas, a Fazenda Jacobina foi um importante estabelecimento produtor de charque e de açúcar. Abastecia grandes centros brasileiros e no final do século 19 a Jacobina era a mais rica fazenda da província, tinha 60 mil cabeças de gado, 200 escravos e igual número de alforriados.

A construção da fazenda consiste em um importante sobrado colonial, feito com taipa de pilão, uma das tradicionais técnicas construtivas da época colonial.

Para o Professor Reginaldo Codeco, diretor do Núcleo Clarinópolis, esta foi uma viagem incrível que proporcionou aos alunos uma experiência de vida e de aprendizagem significativa. “Eles tiveram oportunidade de conhecer uma época muito importante da história de nosso país”, observou Reginaldo.

Para ele a aula de campo permitiu aos alunos verem de perto o que foi estudado em sala de aula. “As fazendas antigas oferecem um rico acervo histórico, entre utensílios e equipamentos de época. Os alunos ficaram maravilhados nesta viagem no tempo”, avaliou Codeco.

O diretor, os professores e alunos do núcleo Clarinópolis, registraram nas retinas e em imagens o que ainda se mantém vivo no local, a igreja com santos antigos, o casarão originalmente construído pelos senhores do engenho, parte de algumas senzalas, equipamentos usados pelo engenho, rodas de água que circulam e muitos atrativos naturais que embelezam o local.

Para o professor Wilton da Silva Campos, da escola Soteco, a experiência de poder apresentar este grande patrimônio e abordar diversos conteúdos da história e do local foi muito gratificante. “A aula de campo foi bastante significativa e teve seus objetivos alcançados. Para os alunos, uma viagem inesquecível  ao conhecimento”, ponderou Ilton.

Para a Secretária Municipal de Educação, Eliene Liberato Dias, este tipo de atividade pedagógica é um importante recurso didático e facilita a aprendizagem do aluno. “O Trabalho fora da sala de aula tende a auxiliar a construção do conhecimento. De parabéns a inciativa do Núcleo de Clarinópolis”, finalizou Eliene.