PUBLICIDADE

X

EDUCAÇÃO

Quinta-feira, 15 de Agosto de 2019, 00h:00

Olho 369 acessos A | A

CONTINGENCIAMENTO

Reitor do IFMT dialoga com servidores de Cáceres sobre contingenciamento de recursos e cenário atual da Educação Profissional e Tecnológica

Por: Edna Pedro I IFMT

Assessoria

Clique para ampliar

Entre as temáticas do encontro realizado no último sábado (10.08) foram discutidas os impactos do contingenciamento de R$ 5,8 bilhões dos recursos do Ministério da Educação (MEC) que resultou no bloqueio no orçamento do IFMT no valor de R$ 31.838.793,00 e as preocupações com o Programa Future-se anunciado no último mês pelo MEC.

O reitor do Instituto Federal de Mato Grosso, IFMT, professor Willian Silva de Paula promoveu agenda de diálogo em Cáceres com servidoras e servidores do Campus Prof. Olegário sobre o atual cenário da instituição frente aos desafios e perspectivas para oferta e manutenção da Educação Profissional e Tecnológica. Entre as temáticas do encontro realizado no último sábado (10.08) foram discutidas os impactos do contingenciamento de R$ 5,8 bilhões dos recursos do Ministério da Educação (MEC) que resultou no bloqueio no orçamento do IFMT no valor de R$ 31.838.793,00 e as preocupações com o Programa Future-se anunciado no último mês pelo MEC.

“Esse momento de dialogo é muito importante porque é uma forma de estarmos próximos de nossos servidores, das pessoas que fazem a gestão do Campus, para realmente falar como está o cenário do Estado de Mato Grosso e do nosso país com relação a oferta e a manutenção da Educação Profissional e Tecnológica. É importante que o gestor maior tenha esse momento próximo de todos até para ouvir e entender um pouco o que eles também percebem de documentos como o do Programa Future-se e com relação as questões de contingenciamento e corte para educação em nosso país como todo”, destaca o reitor.

Com relação ao Programa Future-se, o Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif) já manifestou em nota alerta sobre a proposta considerando desde a sua concepção “problema de método”, “expresso na inteira exclusão dos agentes públicos, dos corpos dirigentes e das representações coletivas institucionais do debate relativo à sua construção”.

Para o Conselho, além da não participação na construção da proposta apresentada que envolve questões relativas a autonomia da gestão institucional e que implica, inclusive, em alterar leis em vigor para aplicá-la, o entendimento é que “nenhuma ação de futuro deve preceder o ato de sanar a grave situação financeiro-orçamentária vivenciada pela Rede, cujo funcionamento se encontra seriamente ameaçado pelos bloqueios então processados”, destaca a nota.

No IFMT em Cáceres, o impacto do contingenciamento no orçamento para atividades de custeio, chega a 30% do orçamento do Campus, o que pode implicar, segundo o diretor-geral, Salmo César da Silva, o não fechamento das contas e graves consequências para o funcionamento da unidade.

“Nós fizemos o dever de casa, com esforço e compreensão da nossa comunidade, mas o nosso campus não fechará as contas se permanecer esse corte”, explica o diretor.

Em meio as reflexões dos servidores e informações sobre os encaminhamentos e diálogos com os poderes constituídos e com a sociedade sobre as temáticas, o reitor ouviu demandas de docentes a exemplo de agenda em torno de discussões sobre alterações nas Diretrizes Curriculares e as implicações para a instituição, bem como de matrizes e projetos pedagógicos de cursos.