PUBLICIDADE

X

MATO GROSSO

Domingo, 16 de Setembro de 2018, 10h:17

Olho 721 acessos A | A

QUEIMADAS

Dezenas de focos de queimadas são registrados na primeira quinzena de setembro em Cáceres

Por: Sinezio Alcântara

Reprodução

Clique para ampliar

Trinta e oito focos de queimadas foram registrados na primeira quinzena de setembro em Cáceres.

Trinta e oito focos de queimadas foram registrados na primeira quinzena de setembro em Cáceres. Uma média de 3,2 casos por dia. De acordo com a 2ª Companhia Independente de Bombeiros Militar (2ª CIBM) é o maior índice de queimadas, para o mês de setembro, dos últimos três anos. Os incêndios, tanto no perímetro urbano quanto na zona rural, são propagados pelo longo período de estiagem. Há mais de 90 dias, não chove na região.

A situação é semelhante nas demais regiões do Estado. Segundo dados Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), mais de 6 mil focos de calor foram registrados em Mato Grosso, de janeiro a agosto, deste ano. No país foram mais de 22 mil focos. O período de proibição das queimadas em zona rural, no Estado, começou no dia 15 de agosto e vai durar 90 dias, até o dia 15 de outubro, podendo ser prorrogado.

Na região de Cáceres, os maiores focos de queimadas, nos primeiros dias de setembro, foram registrados nas margens do rio Paraguai, onde uma extensa área, próximo a baia do Julião foi totalmente destruída pelo fogo, e no distrito de Vila Aparecida, onde uma área do tamanho de 10 campos de futebol, também foram consumidos. Além disso, parte da fazenda Bela Vista, no km 120 da BR-070 também virou cinzas, assim como uma área do destacamento do Exercito da Corixa, na fronteira com a Bolívia que foi dizimado pelas chamas.

Chefe da Seção de Operações e comandante adjunto da 2ª CIA de Bombeiros Militar, tenente Paulo Felipe dos Santos informou que devido a grande demanda de ocorrências dessa natureza, além do efetivo normal de seis homens, designou para que uma equipe fique de sobreaviso. “Dispomos de dois caminhões de combate a incêndio que tem trabalhado mais de 12 horas por dia. E, além disso, praticamente, dobramos o número de efetivo para atender todas as ocorrências”.

De acordo com a estatística do Corpo de Bombeiros, no ano de 2016 foram registrados 165 ocorrência de combate a incêndio. Nos 12 meses de 2017 houve uma redução de 20 ocorrências, somaram apenas 145. No ano de 2018, até no mês de agosto haviam sido registrada 135 ocorrências. E, só nos primeiros 15 dias de setembro já foram 32 atendimentos.

Reprodução

foram-registrados-pouco-mais-de-11-mil-focos.jpg

O período de proibição das queimadas em zona rural, no Estado, começou no dia 15 de agosto e vai durar 90 dias, até o dia 15 de outubro, podendo ser prorrogado.

Além das queimadas, o longo período de estiagem, com as altas temperaturas, ocasionam também problemas de saúde, como ressecamento da pele, desconforto nos olhos, boca e nariz. As recomendações são as seguintes: beber bastante líquido, não praticar atividades físicas entre 10h e 16h, evitar exposição ao sol nas horas mais quentes do dia, usar hidratante e umidificar o ambiente.

Além de prejudicar o meio ambiente com a morte de espécies da fauna e da flora, as queimadas colocam em risco a segurança de quem trafega pela rodovia. Algumas dicas podem evitar as queimadas: Não jogue lixo na rodovia, principalmente latas, vidros e bitucas de cigarro; Evite descartar tecidos sujos com material combustível (graxa, gasolina, querosene, etc); Acione a PRF (191) ou Rota do Oeste (0800 065 0163) em caso de fumaça às margens da rodovia.