PUBLICIDADE

X

MATO GROSSO

Sexta-feira, 22 de Fevereiro de 2019, 17h:47

Olho 1194 acessos A | A

PADRÃO MERCOSUL

Esclarecimentos sobre o novo emplacamento de veículos do MT

Por: AFA Placas-MT

Reprodução

Clique para ampliar

A placa Mercosul é considerada um produto de segurança, que vem eliminar a ação de atravessadores e bandidos que lucram com esse tipo de crime.

O estado do Mato Grosso está se preparando para implantar, em breve, as novas placas de veículos no padrão Mercosul, seguindo a tendência dos estados que já vem adotando o modelo desde o ano passado.  A necessidade da mudança é fundamental para tratar da insegurança causada hoje pelos altos índices registrados de roubo e clonagem de veículos.

As placas cinzas, que hoje circulam nos veículos, ainda possuem muitas fragilidades quanto ao controle e segurança, o que reflete no aumento de casos de crimes de roubo de veículos, adulteração e venda de placas frias.  

A placa Mercosul é considerada um produto de segurança, que vem eliminar a ação de atravessadores e bandidos que lucram com esse tipo de crime. Com todos os novos itens de segurança e controle, desde a fabricação até o consumidor final, a medida deve acabar de vez com a criminalidade no estado.

Com a mudança no sistema será permitido a emissão de nota fiscal, contendo todas as informações relacionadas ao valor real da placa, para o conhecimento do consumidor final, evitando assim, a interferência dos atravessadores sobre o preço.

Hoje um par de placa custa em média 180 a 200 reais, mas a ação dos atravessadores, sem controle nenhum, encarece muito mais o produto até chegar no consumidor.

Essa prática prejudica o estado, que também perde, pois os cofres públicos deixam de arrecadar em média meio milhão por mês de impostos sobre as vendas de placas para veículos, dinheiro esse que poderia ser investido em serviços que beneficiariam a população.

Algumas informações equivocadas vem sendo divulgadas com relação a implantação, que podem facilmente ser esclarecidas. A Associação dos Fabricantes de Placas de Mato Grosso (AFA Placas-MT), através do seu presidente Ivanio Inácio da Silva, se manifestou quanto a dúvidas e erros divulgados relacionados a mudança.

Uma delas mostrou que a cor do alfanumérico estava saindo com facilidade, o que não é bem assim, no caso mostrado foi utilizado um produto tóxico com um jato de alta pressão direcionado a placa, provocando a saída da cor, o que não acontece no dia a dia, a cor não sai com facilidade, diversos testes já foram feitos o que pode deixar o consumidor tranquilo quanto a durabilidade do produto.

Outra questão é quanto a solicitação de placas, no modelo antigo de emplacamento, os despachantes solicitavam as placas para instalação, já o modelo atual permite a instalação em qualquer lugar, pois possuem QR code, que hoje é um item da placa essencial para garantir mais segurança, trazendo benefícios como a rastreabilidade do processo desde a fabricação até o consumidor final. Através do QR code, será possível ter todos os acessos e informações do histórico da placa, além de ser a principal ferramenta de fiscalização das policias. Ou seja, o controle da produção até chegar ao público final está bem mais rigoroso, o que não existia antes, por isso a facilidade da ação de atravessadores e de irregularidades e fragilidades no processo, facilitando o crime.

Quanto aos questionamentos relacionados ao sistema, todos os trâmites estão sendo atualizados e adequados para evitar qualquer transtorno à população.

O que o consumidor deve estar ciente são dos benefícios que as mudanças da nova placa irão trazer. O rigor maior em todas as etapas do processo é fundamental para um resultado positivo quanto a diminuição de crimes, ele também deve estar ciente que isso não ocasionará, de forma algum, em ônus quanto ao valor do produto, sem a ação de terceiros, o consumidor pode chegar a pagar bem menos do que paga hoje com a placa cinza.