PUBLICIDADE

X

POLÍCIA

Quinta-feira, 14 de Outubro de 2021, 11h:43

Olho 3688 acessos A | A

AJUDA PSICOLÓGICA

Associação de PM entra em contato com família e oferece ajuda psiquiátrica a jornalista

Por: Thays Amorim I Única News

Reprodução

Clique para ampliar

O cabo destacou que a mulher pode não estar bem de saúde e entrou em contato com a família de forma cautelosa para oferecer ajuda.

O presidente da Associação de Cabos e Soldados (ACS-MT), cabo Laudicério Aguiar Machado, afirmou ao Única News que entrou em contato com a irmã da jornalista Nildes de Souza, 37 anos, e ofereceu ajuda psiquiátrica a mulher. Nildes jogou um copo de cerveja no rosto de um policial na segunda-feira (11), foi presa pela segunda vez na quarta-feira (13), e agrediu um homem na madrugada desta quinta-feira (14).

O cabo destacou que a mulher pode não estar bem de saúde e entrou em contato com a família de forma cautelosa para oferecer ajuda. À Justiça, Nildes afirmou que possui transtorno bipolar e sofre de alcoolismo.

“Neste momento, percebemos que ela não está na sua sensatez. De forma cautelosa, perguntei à irmã se poderíamos ajudar, que ficou muito agradecida, e entrei em contato com o Dr. Gleisson Libardi. Ele disse prontamente que poderia ajudar”, afirmou, em entrevista ao Única News.

Após ser presa pela primeira vez na segunda, o Tribunal de Justiça (TJMT) determinou medidas cautelares a jornalista, como a proibição de ingerir bebidas alcóolicas e frequentar bares. Nildes descumpriu a determinação e foi flagrada novamente na Praça Popular na noite da quarta-feira (13).

Ela foi presa e liberada pela PJC. Entretanto, a mulher foi vista em diversos bares de Cuiabá e se envolveu em uma confusão no Zero KM, em Várzea Grande, na madrugada desta quinta. Desde então, até o momento, não existem informações sobre o seu paradeiro.

Contudo, o presidente da ACS-MT afirmou que entrou em contato com o 190 e emitiu um alerta para que ela seja encaminhada ao tratamento psicológico assim que for localizada.

“De imediato liguei no 190, fiz o registro e foi irradiado para todas as viaturas tanto para a PM quanto para a Polícia Civil, Guarda Municipal de Várzea Grande, mobilidade urbana. Todos estão empenhados em encontrá-la. Ao localizá-la, estarão me ligando para que eu possa desloca-la até o psiquiatra para fazer intervenção”, apontou.

O policial agredido na segunda-feira é um cabo associado da ACS-MT. Laudicério informou que a parte jurídica da Associação está acompanhando o caso, mas defendeu o bem-estar da jornalista para que ela responda pelos seus atos.

“Eu quero que ela responda pelos atos que ela fez, mas ela precisa estar bem, é uma questão psicologia. Por mais que eu defenda o policial, nós temos no compromisso da profissão proteger a sociedade. A gente está extremamente preocupado”, enfatizou.

(CLIQUE AQUI) e faça parte do nosso Instagram curta, siga e receba as últimas do .

(CLIQUE AQUI) e faça parte no nosso grupo do WhatsApp e receba como últimas do .

Entenda

Nildes foi presa pela primeira vez na Praça Popular, em Cuiabá, na noite da segunda-feira (11). O policial afirmou que estava realizando uma patrulha no local quando a suspeita jogou uma garrafa de cerveja viatura. Ao se aproximar, a mulher começou a ameaçar e jogou um copo de cerveja no rosto do militar.

Nesse momento, foi dado ordem de prisão. Nildes resistiu e chegou a dar um pontapé contra o policial, derrubando-o no chão. O militar utilizou de força para imobilizar a mulher e realizar a sua detenção. Um outro policial que acompanhava a prisão apresentou uma lesão no braço direito, ocasionada pela suspeita durante o momento da detenção.

Após passar pela audiência de custódia, na terça-feira (12), ela pagou uma fiança de R$ 1,1 mil e foi liberada. A juíza Ana Graziela Vaz de Campos Alves Corrêa determinou medidas cautelares como o uso da tornozeleira eletrônica, proibição de frequentar bares e congêneres, consumir bebida alcóolica e sair de casa após às 22h.

A jornalista foi vista na Praça Popular no início da noite desta quarta-feira (13) e foi presa. Contudo, ela foi liberada e o TJMT informou que ela deverá se apresentar à Justiça na tarde desta quinta.

Nildes foi vista durante a madrugada em diversos bares de Cuiabá e chegou a agredir um homem em um bar no Zero KM, em Várzea Grande.