PUBLICIDADE

X

POLÍCIA

Sexta-feira, 08 de Fevereiro de 2019, 19h:44

Olho 4635 acessos A | A

ABUSO SEXUAL

Boliviano é preso e confessa abusar das enteadas de 13 e 14 anos em Cáceres

Por: Joner Campos

Reprodução

Clique para ampliar

“Ela sabia, as vezes ficava brava, chegava a sair de casa, mas voltava e então eu continuava” diz trecho dos depoimentos do suspeito.

Um cidadão de nacionalidade boliviano de 40 anos foi preso em Cáceres, suspeito de abusar sexualmente das enteadas de 13 e 14 anos. Ele foi preso após a filha menor denunciar o caso a delegacia da mulher em Cáceres, distante de 223 km de Cuiabá.

Segundo a delegada Judá Maali Marcondes, responsável pelas investigações, a menina de 13 anos contou que desde os 11 anos era constantemente abusada pelo seu padrasto, e que a poucos dias resolveu fugir da residência e se abrigou na casa de uma ex-patroa de sua mãe, e que receberá apoio dela e encorajamento para denunciar os abusos na polícia.

Segundo a vítima de 13 anos, o último abuso teria ocorrido a poucos dias, durante os depoimentos disse que sua irmã mais velha de 14 anos também era abusada, e que até teria engravidado do padrasto.

Os policiais foram até a casa do suspeito localizado em propriedade rural do Distrito do Caramujo, porém a família já havia se mudado. Após intensa investigação da delegacia da mulher sobre o novo paradeiro, o suspeito foi encontrado e preso.

Já na delegacia o suspeito confessou que abusava das enteadas, e que pode ser o pai do filho de uma delas, e que a sua esposa sabia dos abusos.

“Ela sabia, as vezes ficava brava, chegava a sair de casa, mas voltava e então eu continuava” diz trecho dos depoimentos do suspeito.

A delegada Judá Maali, pedirá a prisão da genitora, por consentir que tais abusos ocorressem em sua presença.

A enteada de 14 anos contou que os abusos ocorriam desde os seus 11 anos, e que suspeita que o seu padrasto seja o pai de sua filha de apenas um ano, e também confirmou que sua genitora sabia dos ocorridos.

O homem foi conduzido ao Centro Integrado de Segurança e Cidadania – CISC, e posteriormente seguirá para a Cadeia Pública de Cáceres.