PUBLICIDADE

X

POLÍCIA

Domingo, 24 de Janeiro de 2021, 11h:05

Olho 2398 acessos A | A

ABUSO SEXUAL

Esposa encontra vídeo e flagra marido estuprando a própria filha de 8 anos em Cáceres, Polícia investiga o caso

Por: MÁRIO ANDREAZZA I REPORTER MT

Reprodução

Clique para ampliar

A mulher encontrou as imagens do abuso contra a filha no celular do marido, salvou as gravações e entregou à Delegacia de Polícia Civil na sexta-feira (22), em Cáceres.

Um homem de 39 anos, nome não revelado, gravou por celular o momento em que abusava sexualmente da filha de apenas 8 anos. Os vídeos foram parar na mão da esposa, e mãe da criança, que denunciou o caso à Delegacia de Polícia Civil nessa sexta-feira (22), em Cáceres (221 km da Capital).

O acusado teria ficado extremamente nervoso e violento ao flagrar a mulher assistindo os vídeos no celular dele, quando agrediu a esposa, jogou o celular na parede e fugiu da casa.

De acordo com a ocorrência, o casal estaria em casa quando, por algum motivo, a esposa pegou celular do acusado e no meio da pasta de vídeos uma gravação mostrando as partes íntimas da filha.

Depois do flagrante, a testemunha continuou verificando o aparelho e teria encontrado um segundo vídeo do homem deitado sobre a criança. Ela então encaminhou os vídeos para seu e-mail para guardar as provas.

Em determinado momento o acusado viu que a mulher estava com seu celular e visto as gravações, momento em que cometeu as agressões.

Ainda segundo a mãe, após a ‘confusão’ e fuga do marido, ela conversou com a filha e a criança teria relatado que o pai tinha a colocado na cama e deitado em cima dela.

De posse das provas, a mulher procurou a delegacia, relatou o crime, entregou as imagens e pediu medida protetiva contra o marido, que até a publicação desta reportagem ainda estava ‘desaparecido’.

O plantão da Polícia Civil já encaminhou os vídeos e o depoimento da mãe da menina à Delegacia da Mulher, responsável pela investigação do caso.

Na segunda-feira (25), a testemunha deve prestar novo depoimento à delegada.

A criança também deverá ser ouvida na segunda, em um depoimento especial e único, conforme orientação da Justiça com medidas específicas por se tratar de criança. 

A ocorrência foi registrada por crime de estupro de vulnerável e lesão corporal.