POLÍCIA

Terça-feira, 30 de Janeiro de 2018, 22h:07

Olho 3011 acessos A | A

FRIO E CALCULISTA

Homem diz que decapitou jovem por "vingança" e pede perdão

André de Souza Martins, de 28 anos, foi preso no final da tarde de segunda-feira (29) na Estrada de Porto Acre, interior do estado.

Por: G1 - AC

Policia Civil - AC

Clique para ampliar

André de Souza Martins, de 28 anos, foi preso no final da tarde de segunda-feira (29) na Estrada de Porto Acre, interior do estado.

De forma fria, o homem acusado de decapitar a jovem Débora Bessa, de 19 anos, contou detalhes do crime na Delegacia de Homicídios de Rio Branco nesta terça-feira (30) . Ele afirmou que matou a jovem por vingança e chegou a pedir perdão à sociedade.

André de Souza Martins, de 28 anos, foi preso no final da tarde de segunda-feira (29) na Estrada de Porto Acre, interior do estado. Ele afirma que a vítima foi morta porque tinha envolvimento no assassinato do irmão dele, em 2013, e não por ordem de facção. "Não recebi ordens. Foi porque ela matou meu irmão. Em 2013 armou com os irmãos dela e levaram meu irmão, esquartejaram. Não fiz isso com ela [esquartejar], fiz só isso que viram no vídeo", o suspeito de matar Débora durante apresentação nesta terça.

Débora estava desaparecida desde o último dia 9 de janeiro e foi encontrada pela família no sábado (13) em uma região de mata no bairro Caladinho, em Rio Branco. A irmã da vítima, a secretária Sarah Freitas Bessa, de 21 anos, e outros parentes faziam buscas por conta própria e acabaram encontrando o corpo da jovem.

A polícia anunciou, na sexta (26), que utilizava um vídeo da decapitação para identificar os autores do crime. Nas imagens, Débora aparece de joelhos e diz que não fez nada de mal. Mas, um dos homens, que estava com um facão, manda ela olhar para a câmera e fala que ela “estava matando os irmãos” dele.

Martins explicou que soube que Débora tinha se desligado de uma facção rival e a encontrou em um grupo de WhatsApp. Para atrair a jovem, o suspeito a chamou em uma conversa privada e perguntou se ela precisava de algo. Débora disse que queria drogas e uma arma, então, Martins a convidou para buscar a droga na casa dele, no bairro Caladinho.

A versão do acusado contraria a da irmã de Débora, que garantiu que a jovem ia visitar o filho no dia do crime.