PUBLICIDADE

X

POLITICA

Sábado, 23 de Novembro de 2019, 21h:39

Olho 3323 acessos A | A

CONFUSÃO

Em sessão acalorada neste sábado, vereadores esvaziam sessão em que votariam licença para prefeito viajar

Por: Joner Campos I Cáceres Notícias

Reprodução

Clique para ampliar

Momento em que os vereadores oposicionistas se recusaram a participarem da sessão extraordinária de urgência.

A Câmara Municipal de Cáceres fez uma sessão extraordinária de urgência, neste sábado (23), para autorizar o prefeito Francis Maris (PSDB) a se ausentar do país em uma viagem de férias para os Estados Unidos.

Porém, um grupo de vereadores anunciou que não iria dar essa autorização legislativa se o prefeito não resolvesse a questão dos guardas municipais e funcionários do PAM, uma vez que uma comunicação interna da prefeitura determinou que os guardas e os demais servidores que trabalhavam em escala de 12/36 trabalhassem no turno diurno, das 07 às 11 e das 13 às 17. Com isso, os PSF e Escolas ficam sem vigia à noite, e esses também não recebem horas extras e adicional noturno.

Em um vídeo, o vereador Cézare Pastorello, que estava na Câmara, mas não compôs o plenário, filma os 7 vereadores que estão na sessão e diz que o presidente não pode colocar a matéria em discussão, porque o quórum mínimo seria de 8 vereadores. Os vereadores Cézare Pastorello (SD), Valdeníria Dutra (PSDB), José Eduardo Torres (PSC), Cláudio Henrique (PSDB), Elias Pereira (Avante) e Rosinei Neves (PV) não compuseram a sessão, ficando na assistência, como cidadãos. O vereador Creude Castrillon (Podemos) estava em viagem e o vereador Jerônimo Gonçalves (PSC) em um retiro religioso.

Para o vereador Wagner Barone (Podemos), os servidores municipais estão sendo usados pelo sindicato. Segundo o vereador, para tirar o foco de uma dívida de quase meio milhão de reais, o sindicato tem colocado os servidores para discutir questões na Câmara. O vereador ainda afirma que os vereadores que não quiseram fazer parte da sessão fizeram “politicagem”, mas que, como estavam no prédio da Câmara, contavam como quórum.

Já o prefeito Francis Maris Cruz atribui tudo isso ao fato de que, na segunda-feira, será aprovado o projeto de financiamento do esgoto de Cáceres. O projeto, que prevê a instalação de rede coletora de esgoto em 100% da cidade, custará aproximadamente 136 milhões de reais, sendo 129,5 financiados pela Caixa Econômica. Os vereadores que são contra alegam que o valor a ser pago será de 286 milhões, acima do que os cidadãos cacerenses podem pagar.

Durante a sessão vereadores e populares cobraram a presença do prefeito ou de um representante, dizendo que um compromisso de resolver os problemas dos guardas seria o suficiente para aguardar o retorno do prefeito da viagem. Porém, foi dito que o prefeito estaria em Brasília.

Após os vereadores já estarem do lado de fora da Câmara, uma viatura da Força Tática foi acionada e fechou a rua, surpreendendo todos os presentes. Com os policiais já na frente da Câmara, apareceu o prefeito Francis Maris Cruz, que fez algumas filmagens, agradecendo aos vereadores Rubens Macedo, Alencar, Valter Zacarkim, Elza Basto, Wagner Barone, Dênis Maciel e Domingos Oliveira por ter votado e aprovado a sua viagem. O prefeito ainda chamou os demais vereadores de covardes, por obstruírem a votação, ao invés de votarem e serem vencidos.

Segundo as informações levantadas pelo Cáceres Notícias mesmo grupo de vereadores oposicionistas se posicionará de forma a trancar a pauta da Câmara na segunda-feira (25), conforme disseram, até que seja resolvida a questão dos guardas municipais e dos funcionários do PAM.