POLITICA

Segunda-feira, 12 de Fevereiro de 2018, 09h:32

Olho 136 acessos A | A

DURAS CRITICAS AO GOVERNO

Fávaro critica blitz da Sefaz: "Parece que só quer arrecadar"; ouça

Vice-governador postou áudio nas redes sociais reclamando de ação contra produtores rurais

Por: THAÍZA ASSUNÇÃO

Reprodução

Clique para ampliar

O vice-governador Carlos Fávaro, que reclamou de blitz da Sefaz contra produtores

O vice-governador do Estado, Carlos Fávaro (PSD), criticou a ação da Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) de multar máquinas agrícolas sem nota fiscal em áreas de lavouras no interior de Mato Grosso.

O vídeo, que traz apenas a voz de Fávaro coberta com imagens da fiscalização, está sendo divulgado nas redes sociais.

Na gravação, o vice-governador diz que a fiscalização, neste momento de colheita, parece que só tem por objetivo "arrecadar".

“A Secretaria de Estado de Fazenda fazer blitz coibindo, multando, atrapalhando o deslocamento de máquinas de uma propriedade para outra. Neste momento, é um Estado que parece que só quer arrecadar e atrapalhar a vida do cidadão”.

“Eu defendo um Estado mínimo, menos atrapalhador, menos burocrático e muito mais eficiente. Eu não posso concordar com um Estado que queira inverter a ordem das coisas, um Estado que queira atrapalhar o desenvolvimento a todo preço. Nunca defenderei a ilegalidade. Nunca defenderei criminosos, em qualquer área”.

“Mas um Estado que tem na força da sua economia a agricultura, a pecuária que alavanca o desenvolvimento, no momento de colheita, no momento de safra, que são mulheres e homens trabalhando dia e noite para gerar oportunidade de emprego e riqueza para esse Estado. Tem o Estado como atrapalhador, eu não posso admitir”.

Fávaro disse entender a importância da fiscalização até por uma questão de segurança para proteger o produtor rural.

No entanto, não aceita que as autuações com valores altos ocorram durante o transporte de uma propriedade para outra.

 “Já falei com o secretário de Fazenda, manifestei minha indignação e pedi a ele que toma providências para que isso seja resolvido mais rápido possível. Mantendo a legalidade, mas não atrapalhando o cidadão de bem, caso ao contrário desanima quem quer trabalhar, desanima quem quer fazer a riqueza desse Estado de acontecer”.

Ouça o áudio: