PUBLICIDADE

X

POLITICA

Terça-feira, 24 de Março de 2020, 09h:13

Olho 406 acessos A | A

EFEITO DA PANDEMIA

Governo de MT negocia na China compra de 600 respiradores

Necessidade de importação é justificada pelo custo alto e falta de equipamentos no Brasil

Por: ANDRÉIA FONTES

Reprodução

Clique para ampliar

Destaca que há cerca de 20 dias um respirador custava algo em torno de R$ 40 mil e hoje já chega a R$ 70 mil.

Mato Grosso precisa adquirir 600 respiradores e diante da pandemia mundial do coronavírus, um servidor do Estado foi para a China tentar fechar a compra dos equipamentos. Secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo afirmou que este profissional está hoje no país onde a pandemia surgiu e a expectativa do governo é que até o final de semana os respiradores estejam no Estado.

Figueiredo explicou que a necessidade de tentar a importação é devido à falta de equipamentos e também o custo. Destaca que há cerca de 20 dias um respirador custava algo em torno de R$ 40 mil e hoje já chega a R$ 70 mil.

Explicou ainda que hoje os leitos de Unidade Terapia Intensiva (UTI) no Estado possuem respiradores, mas esses 600 são necessários para os novos leitos de UTI que serão abertos, como os 30 no Hospital Metropolitano, e também para serem utilizados em enfermarias e leitos que sejam adquiridos da rede particular. “Nosso grande problema não é estrutura física. O grande problema hoje é colocar equipamentos e, por isso, o governador Mauro Mendes está tentando importar”.

Os respiradores são essenciais no atendimento aos casos graves. A estimativa é que 80% das pessoas infectadas tenham sintomas leves ou sejam assintomáticas; 20% vão precisar de assistência médica, sendo que 10% terão agravamentos e cerca de 3% vão precisar de UTI.

Ele explicou ainda que não basta um leito, pois para enfrentar o coronavírus é necessário pensar em controlar infecção hospitalar, exames de imagens, laboratório de análise clínicas. “O conjunto de leitos que temos e o que o Estado está disposto a comprar da rede privada, acreditamos que será suficiente”.

O secretário lembrou que Mato Grosso possui cerca de mil leitos de UTI hoje, sendo cerca de 400 do Sistema Único de Saúde (SUS) e o restante da rede particular.


Leia mais sobre este assunto