PUBLICIDADE

X

POLITICA

Domingo, 14 de Março de 2021, 15h:25

Olho 1609 acessos A | A

ELEIÇÕES 2022

PSDB deve lançar Francis Maris ao Senado e Ari Lafin a governo: "sendo Mauro candidato, temos que ter um segundo plano", afirma Avalone

Por: Isabela Mercuri / Max Agui I OD

Reprodução

Clique para ampliar

Segundo o deputado Carlos Avalone, presidente estadual do partido, há diversos nomes de força, como o do ex-prefeito de Cáceres, Francis Maris, ao Senado, e o do prefeito reeleito de Sorriso Ari Lafin ao governo.

Aprendendo com o “erro” de 2020, o PSDB deve lançar candidaturas próprias ao Senado e ao Governo em 2022. Segundo o deputado Carlos Avalone, presidente estadual do partido, há diversos nomes de força, como o do ex-prefeito de Cáceres, Francis Maris, ao Senado, e o do prefeito reeleito de Sorriso Ari Lafin ao governo, apesar de a sigla estar na base do atual Governo: “Sendo Mauro candidato a reeleição, a gente sempre tem que ter um segundo plano. Se for a nossa intenção estar com ele, porque isso tem que ser discutido partidariamente, então é aprender com os erros”.

“Para o Senado o ex-prefeito de Cáceres, Francis Maris, já se colocou à disposição. Ele falou: meu nome está à disposição, eu estou pronto para ser candidato, vou começar a construir o partido aqui na região junto com você, e nós já estamos trabalhando. Nós estamos convidando para o partido o Marino Franz, que foi prefeito em Lucas do Rio Verde, que estava no partido e saiu por uma conjuntura, e ele também é um nome muito forte para ser candidato a senador”, completou Avalone.

Segundo o presidente, a questão de Ari Lafin sair ao Governo ainda não foi discutida com ele, mas o nome é forte, já que o prefeito foi reeleito com 73,62% dos votos em Sorriso.  “Nós temos nomes. Nomes do Rogério Salles para vir para uma disputa de federal, de senador, para governador, nós temos a Thelma de Oliveira, apesar de ter perdido as eleições é um nome forte, um nome que pode vir para deputada federal, para deputada estadual, temos o Wilson Santos que já foi candidato a governador. No nosso partido não falta nome”, garantiu.

Avalone afirmou, inclusive, que já começou as viagens pelo estado para articular as eleições de 2022. A decisão sobre candidatura própria ao Governo, no entanto, depende de Mauro Mendes e do PSDB. “A gente tem que lembrar que o Mauro é um político diferente do que a gente vê naturalmente, porque na Prefeitura de Cuiabá ele estava pronto, mas estava indicando o vice dele, e ele deixou a gente com a broxa na mão e não foi candidato. Então assim, sendo Mauro candidato a reeleição, a gente sempre tem que ter um segundo plano. Se for a nossa intenção estar com ele, porque isso tem que ser discutido partidariamente, então é aprender com os erros. O erro não foi com Mauro, foi nossos, de ter trabalhado naquele sentido naquele momento, que foi de não ter candidato. Aliás, o Wilson Santos falava isso o tempo inteiro. Nós é que não escutamos”, justificou.